sexta-feira, 30 de março de 2007

Comunicado de Imprensa - FRETILIN CRITICA O USO DA BANDEIRA NACIONAL NO BOLETIM DE VOTO


FRENTE REVOLUCIONÁRIA DO TIMOR-LESTE INDEPENDENTE
FRETILIN

Comunicado de Imprensa
30 de Março de 2007

FRETILIN CRITICA O USO DA BANDEIRA NACIONAL NO BOLETIM DE VOTO

FRETILIN, o maior partido politico de Timor-Leste, criticou hoje a decisão tomada por quatro candidatos presidenciais em usarem a bandeira nacional como símbolo da sua candidatura às eleições presidenciais de 9 de Abril.

Os quatro candidatos que decidiram usar a bandeira nacional como símbolo da sua candidatura são: Ramos Horta (candidato independente), Avelino Coelho (PST), Lúcia Lobato (PSD) e Xavier do Amaral (ASDT). O candidato da FRETILIN, Francisco Guterres “Lu Olo” usará a bandeira do FRETILIN como símbolo da sua candidatura.

Um membro do escalão superior da FRETILIN, Filomeno Aleixo, disse que era desonesto e perigoso fazer uso da bandeira desta maneira uma vez que os candidatos, ou são candidatos independentes ou são candidatos propostos pelos respectivos partidos.

“O uso da bandeira nacional no boletim de voto é uma tentativa deliberada de enganar o eleitorado quando se sabe que há mais de 50% de analfabetos”, disse Filomeno.

“Quatro candidatos levarão o mesmo símbolo no mesmo boletim de voto sendo assim difícil de distingui-los”, acrescentou Aleixo, membro da Comissão Política Nacional.

O mesmo disse também que a decisão de se permitir usar a bandeira como símbolo de candidatura no boletim de voto afectará seriamente as eleições deixando de ser justas e transparentes.

FRETILIN apresentou recurso ao Tribunal de Recurso no sentido de anular a decisão da Comissão Nacional de Eleições (CNE) mas o Tribunal decidiu que o uso da bandeira no boletim de voto não era ilegal.

Entretanto, a campanha do candidato da FRETILIN, Lu Olo, continuou ontem em Maliana – distrito de Covalima, junto a fronteira com a Indonésia. O comício foi um grande sucesso tendo atraído cerca de 8000 apoiantes.

Lu Olo disse que essa grande afluência das populações é um indicativo de que goza de um forte apoio nos distritos da parte ocidental de Timor-Leste apesar de haver tentativas de mobilização das populações destes distritos contra a FRETILIN.

Para mais informações, contacte com: Mari Alkatiri ( +670) 7332360; Filomeno Aleixo (+670) 7230089; Arsénio Bano (+670) 7230023; José Manuel Fernandes (+670) 7230049; Alex Tilman (+612) 419 281 175 (Melbourne , Austrália)

4 comments:

Margarida disse...

O mais absurdo é o Horta querer manter os internacionais e a Austrália durante pelo menos mais cinco anos na RDTL e criticar os nacionalistas e agora querer ter a bandeira como símbolo. Quanto ao "internacionalista" Coelho que quer proibir uma das línguas nacionais e impor o Indonésio é o absurdo total. Só prova como os extremos se entendem sempre para ajudar à confusão e à falta de transparência e como os candidatos do PSD, PST e ASDT afinal se envergonham dos próprios partidos.

Anónimo disse...

Talvez esta decisão estranha de alguns candidatos usarem a bandeira nacional tenha tido como precedente a decisão também estranha de um candidato usar a bandeira de um partido. Explico: é certo que as pessoas têm origens e filiações partidárias. É bom que as assumam claramente, para o bem da democracia. Mas candidatam-se a um cargo que fica acima dos partidos. Mais tarde, podem até ter de tomar decisões contra o partido que os apoiou, como garantes da defesa de todos os interesses do povo timorense. Por isso, parece-me haver coisas "estranhas" em várias candidaturas. É certo que algumas nem são estranhas, são mesmo insensatas.
O que eu espero, como observador externo, mas atento e amigo do povo timorense, é que o processo eleitoral decorra de forma pacífica e democrática, com respeito de todos por todos. E que, depois de eleito o Presidente, ele actue e seja olhado por todos os timorenses como o Presidente de TODOS os timorenses, guardião último dos direitos dos cidadãos, do seu bem-estar, da sua segurança, da demoracia em Timor Leste.
Um abraço fraterno a todos os timorenses.

Um amigo português

Anónimo disse...

Para o amigo portugues: nao sei porque acha estranho que se leve a bandeira do partido. se eh candidato do partido e mais natural que leve o seu simbolo. o cargo e de presidente da republica, indicado pelo partido.

Mas a bandeira nacional e um simbolo da nacao. os outros candidatos nao foram indicados por toda a nacao, mas sim pelos seus partidos, ou por um grupo de pessoas (os independentes), entao porque nao usam os seus simbolos.

o Presidente sera eleito por maioria de votos, o que significa que estara a representar a maioria da populacao, portanto, se um candidato do partido obtem a maioria dos votos, como e que entao nao sera presidente de todos?

nao tente arranjar explicacao para algo que e claramente inexplicavel. isto e simplismente mais uma manobra dos candidatos que nao sabem mais como tramar a fretilin.

e pior, eh para mim uma falta de respeito para com a propria bandeira e pelo pais, por estarem a usar simplesmente para enganar o povo.

de um timorense em Timor-Leste

Margarida disse...

Pois é amigo português, lá porque em Portugal nas presidenciais os candidatos não usam símbolos partidários, isso não obriga a que noutros países isso não aconteça. Cada povo sabe o que mais convém a si próprio, a soberania de cada nação reside na sua Constituição e nas suas leis. Agora um candidato de uma parte desse povo apropriar-se indevidamente da bandeira que é de todos é no mínimo abusivo.