quarta-feira, 28 de março de 2007

Timor protest over digger

Lindsay Murdoch, Darwin
March 28, 2007


EAST Timor's ruling Fretilin party will today lodge a protest over an alleged incident during which an Australian soldier is said to have pulled a Timorese driver out of a vehicle, trod on him, put a gun to his head and yelled: "f … you. I'll kill you."


A Fretilin spokesman in Dili said last night that former East Timorese prime minister Mari Alkatiri was among a group who saw the incident in the coffee-growing town of Gleno after a Fretilin political rally.


He said Mr Alkatiri, Fretilin's secretary-general, will lodge the protest today with Mal Rerden, commander of Australia's 800-strong military force in East Timor.


Fretilin officials say the incident occurred when an Australian armoured personnel carrier pushed into a convoy of cars accompanying Fretilin members who went to Gleno for a rally in support of the party's presidential candidate, Francisco Guterres, on Monday.


There was reportedly an apparent stand-off between a Fretilin driver and Australian soldiers. Fretilin officials said after the Timorese man was assaulted, Mr Alkatiri's bodyguard tried to intervene but an Australian soldier pointed a gun at his head.


Officials said the soldier retreated on the orders of an Australian commander.


Anti-Australian sentiment is strong in the mountains around Gleno after Australian soldiers killed five men from the area during a botched attack on the base of rebel leader Alfredo Reinado on March 4.


Brigadier Rerden's media officer in Dili could not be reached for comment last night.


From The Age.

1 comments:

Margarida disse...

Tradução:
Timor protesta contra soldado australiano
Lindsay Murdoch, Darwin
Março 28, 2007


O partido no poder em Timor-Leste, a Fretilin, vai hoje apresentar um protesto sobre um alegado incidente durante o qual é ditto que um soldado Australiano puxou um condutor Timorense para fora de um veículo, pisou-o, encostou uma arma à sua cabeça e gritou: "f … . Vou matar-te."


Um porta-voz da Fretilin em Dili disse ontem à noite que o antigo primeiro-ministro Mari Alkatiri estava no grupo que presenciou o incidente na cidade da região produtora de café em Gleno, (que aconteceu) depois de um comício político da Fretilin.


Disse que o Secretário-geral da Fretilin, Sr Alkatiri, apresentará hoje o protesto a Mal Rerden, comandante da força militar da Austrália de 800 membros em Timor-Leste.


Membros da Fretilin disseram que o incidente ocorreu quando um blindado Australiano forçou a sua entrada numa caravana de carros que acompanhavam membros da Fretilin que foram a Gleno a um comício de apoio ao candidato presidencial do partido, Francisco Guterres, na Segunda-feira.


Houve, segundo foi relatado, um aparente finca-pé entre um conductor da Fretilin e soldados Australianos. Os membros da Fretilin dizem que depois do Timorense ter sido atacado, os guarda-corpos do Sr Alkatiri tentaram intervir mas que um soldado Australiano apontou uma arma à sua cabeça.


Oficiais disseram que o soldado recuou por ordem de um comandante Australiano.


O sentimento anti-Australiano é forte nas montanhas à volta de Gleno depois de os soldados Australianas terem morto cinco homens da área durante um ataque abortado à base do líder amotinado Alfredo Reinado em 4 de Março.


Não foi possível contactar o oficial para os media do Brigadeiro Rerden, ontem à noite, para um comentário.


De: The Age.